top of page
  • Foto do escritorWilFran Canaris

A luta bancária transformou às Ler/Dort como doença de trabalho


28 de fevereiro, é o Dia Internacional de Combate às Ler/Dort, a data foi instituída pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), neste dia o Sintrafi Floripa fala da luta encampada pelos sindicatos, federações e confederação para considerar a Lesão por Esforço Repetitivo – Ler/Dort (lesões por esforços repetitivo/distúrbios osteomoleculares), como doença do trabalho.


“A conquista de direitos, sempre foi através de luta!” É com essa afirmação que a Secretaria de Saúde do Trabalhador do Sintrafi Floripa, conversou com o José Carlos, bancário aposentado do BESC, que foi Secretário da Saúde do sindicato nos anos 90 e participou ativamente da luta pela adequação da Ler/Dort como doença de trabalho.


Segundo José Carlos, considerar as Ler/Dort como doença do trabalho, modificou a rotina da categoria. “Isso foi importante para que o INSS não caracterizasse como doença comum, mas uma patologia ligada a organização do trabalho. Com o diagnóstico de muitos casos, foi necessário alterar a jornada de trabalho dos bancários, acrescentar pausas no trabalho e readequar o espaço físico ocupado pelos bancários. Tendo assim, o banco uma responsabilidade civil com esse diagnóstico”, explica José Carlos.


De acordo com a atual Secretaria de Saúde do Trabalhador do Sintrafi Floripa, Jozi Mello, as Ler/Dort ainda preocupam a categoria bancária, porém as mudanças geradas pela pressão da categoria, trouxeram redução do número de pessoas adoecidas. “Embora ainda esteja muito presente com patologia da categoria bancária, a redução desse diagnóstico nos últimos anos, se dá pela pressão feita pelos bancários na década de 90, que garantiram melhores condições de trabalho nos dias atuais”, ressalta Jozi.


De acordo com dados da Contraf-CUT (Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), entre 2012 e 2016, 89% de todos os acidentes reconhecidos pelo INSS para bancários e financiários eram transtornos mentais e Ler/Dort, sendo que 45% eram Ler/Dort, 44% eram transtornos mentais e 11% outros acidentes. Entre 2017 e 2021, 90% dos acidentes reconhecidos foram também de LER/Dort e transtornos mentais (46% Ler/Dort, 44% transtornos mentais e 10% outros acidentes).


O Sintrafi Floripa tem uma estrutura à disposição dos bancários para orientar e auxiliar nos casos de adoecimento dos trabalhadores. Para receber orientação do sindicato, basta agendar um horário pelo telefone 48 99615-5031 (Jozi Mello) com atendimento às terças e quintas de manhã 10 às 12h (com acompanhamento advogado previdenciário) e das 14h às 16h sem atendimento do jurídico.


Assista a entrevista na TV Sintrafi:



2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page