top of page

Anulado processo eleitoral para CA do Banrisul

Justiça do Trabalho reconhece ilegalidade no edital para escolha de representante dos empregados ao Conselho de Administração do Banrisul, anula processo eleitoral e exige abertura de novo prazo eleitoral

A 29ª Vara do Trabalho de Porto Alegre reconheceu ilegalidades no Regulamento e no Edital para escolha de representante dos empregados ao Conselho de Administração do Banrisul e anulou o processo eleitoral. Com essa decisão, a Justiça do trabalho acolheu a tese do SindBancários e reconheceu que o banco impôs requisitos para candidaturas contrários ao previsto na Lei 13.303/2016, a Lei das Estatais.

A Justiça também determinou a adequação do Regulamento e do Edital para escolha de representante dos empregados ao Conselho de Administração à Lei das Estatais e a reabertura de todos os prazos do calendário eleitoral. As determinações constam da sentença proferida na Ação Civil Pública nº 0020083-79.2021.5.04.0029, ajuizada pelo SindBancários em fevereiro. Cabe recurso da decisão.

“A decisão da Justiça repara a violação de direitos perpetrada pelo Banrisul contra todos os empregados do banco, ao impor exigências para candidatura à vaga destinada aos empregados no Conselho de Administração acima das previstas na Lei das Estatais. Desde a publicação do Edital, em dezembro de 2020, o Sindicato tentou a solução consensual, tendo, inclusive, solicitado e participado de mesa de negociação com o banco. Infelizmente, foi necessário judicializar o caso, e o resultado é o reconhecimento pela Justiça de que tínhamos razão quanto às ilegalidades das regras eleitorais impostas pelo Banco”, afirma Luciano Fetzner, presidente do Sindbancários.

Na sentença, o juízo da 29ª Vara do Trabalho declara a nulidade do artigo 12, III, do Regulamento e do item 2, “c”, do Edital de escolha de representante dos empregados ao Conselho de Administração do Banrisul. Além disso, a decisão também declara “sem efeitos todos os atos subsequentes à edição do Regulamento e do Edital”, o que implica a nulidade de todo o processo eleitoral realizado. A Justiça determinou ainda a adequação dos normativos à Lei 13.303/2016 e a reabertura de todos os prazos do calendário eleitoral.

Entenda o caso

Em dezembro de 2020, o Banrisul publicou Regulamento e Edital de processo eleitoral interno para escolha de representante dos empregados ao Conselho de Administração da empresa. Tão logo tomou conhecimento das regras eleitorais, o SindBancários identificou que as exigências para apresentação de candidaturas extrapolavam os requisitos legais previstos no artigo 17 da Lei 13.303/2016 (Lei das Estatais) e, com isso, restringia a participação dos trabalhadores no pleito.

Inicialmente, o SindiBancários notificou o banco das ilegalidades constatadas e solicitou a realização de mesa de negociação sobre o tema. Após a apresentação dos argumentos da entidade, o Banrisul retificou, em janeiro, o Edital e o Regulamento das eleições para representante dos empregados ao Conselho de Administração. Contudo, as ilegalidades permaneceram, tendo o Sindicato, por conta disso, ingressado na Justiça.

Com a decisão judicial, o Banrisul fica obrigado a adequar o Edital e o Regulamento ao previsto no artigo 17 da Lei das Estatais, retirando dos normativos os requisitos para candidatura que conflitam com o disposto na legislação. Além disso, os prazos do calendário eleitoral terão de ser reabertos, uma vez que todos os atos posteriores à edição do Edital foram anulados pela decisão da Justiça.

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page