top of page
  • medeirossilvia

Saúde Caixa: mobilização conquista avanços na negociação com o banco

O Comando Nacional dos Bancários e a CEE/Caixa se reuniram com representantes da empresa e defenderam a sustentabilidade e manutenção das premissas do plano de saúde


Em reunião realizada nesta quarta (1), as representações dos empregados da Caixa obtiveram avanços nas negociações com o banco, visando a renovação do acordo específico referente ao plano de saúde.


“Avançamos para resolver o déficit de 2023 usando as reservas técnicas e de contingência e a Caixa se comprometeu a incorporar toda a despesa de pessoal deste ano. Resolvendo essa situação, vamos fazer o debate sobre o futuro do plano para 2024”, destacou a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, Juvandia Moreira.


A retomada das negociações com o banco foi solicitada pelo Comando e aceita pelo banco após as mobilizações dos empregados. Além da presidenta da Contraf-CUT, participaram da reunião a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo de Osasco e Região e também coordenadora do Comando Nacional dos Bancários, Neiva Ribeiro; os membros da Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa; os diretores da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae), Sergio Takemoto e Leonardo Quadros; o vice-presidente de Pessoas da Caixa, Sergio Mendonça; e integrantes da comissão de negociação da Caixa.


Na mesa, os representantes dos empregados reforçaram a necessidade de o banco incorporar não somente as despesas de pessoal de 2023, como também dos dois últimos anos – 2022 e 2021, que foram indevidamente incluídos nas despesas administrativas com o plano de saúde. Somados os três anos, o valor referente a despesa de pessoal chega a cerca de R$ 192 milhões, o que cobriria todo o déficit projetado para o ano.


“Nós avançamos em um tema que está causando grande preocupação entre os empregados da Caixa ativos e aposentados. Esperamos, na reunião agendada para a próxima semana, avançar mais em uma proposta para ser avaliada em assembleias”, acrescentou a presidenta da Contraf-CUT.


A coordenadora da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa, Fabiana Uehara Proscholdt, destacou a importância dos avanços conquistados na negociação. “Iniciamos a reunião com um cenário desfavorável aos usuários do plano de saúde. O efeito do déficit deste ano poderia impor aos empregados o pagamento de 4,5 contribuições extraordinárias para sua recomposição. Com as alternativas discutidas evitamos estas contribuições, e seguimos com as premissas originárias do Saúde Caixa de mutualismo, da solidariedade e do pacto intergeracional”, reforçou.


Na negociação, a Caixa apresentou como base para futura proposta para ajustar a situação financeira do plano a cobrança de mensalidades de todos os dependentes dos titulares.


Os representantes dos empregados solicitaram mais informações sobre o impacto dessa medida para o custeio e, na próxima negociação, agendada para quinta-feira da próxima semana, 9 de novembro, os dados devem ser apresentados. “Pontuamos que o processo de fechamento de acordo passa por medidas que não comprometam a renda das pessoas e nem torne inviável o uso do Saúde Caixa por todos”, disse Fabiana. Os representantes da empresa ficaram de apresentar simulações.


Para os representantes dos trabalhadores, a negociação foi um grande avanço. No início a cobrança era de uma resolução para o déficit e que a Caixa assumisse as despesas administrativas. A Caixa propôs o uso das reservas e também assumir as despesas de pessoal. Como contraproposta, foi pedido que a Caixa incorporasse as despesas de pessoal dede 2021.


O presidente da Fenae, Sergio Takemoto, também avaliou que as tratativas com a Caixa avançaram por conta da forte mobilização realizada pela categoria na última segunda (30). “É fundamental que os empregados e aposentados continuem mobilizados em defesa dessa que é, sem dúvida, uma das nossas principais conquistas. A sustentabilidade e viabilização do plano de saúde para todos representa a valorização e reconhecimento dos empregados para a Caixa e o Brasil”, enfatizou o dirigente.


A presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Neiva Ribeiro, também reforçou a importância da mobilização. “Nós temos feitos mobilizações em defesa do Saúde Caixa. Fizemos um dia de luta forte. Temos expectativa de que a gente saía com uma proposta para levar às bases, que solucione os problemas do plano de saúde, o mantenha sustentável e respeite o pacto intergeracional”.


Na reunião, a Caixa se comprometeu a repassar com periodicidade as informações financeiras e atuariais do plano, para que os empregados possam realizar de forma contínua seu acompanhamento.


O vice-presidente de Pessoas da Caixa, Sergio Mendonça, disse que recebeu o aval do novo presidente do banco, Carlos Vieira, para dar continuidade com as negociações e apesar do momento ser de transição, está empenhado para o fechamento de um acordo até o fim do mês. O acordo específico do Saúde Caixa vence em dezembro deste ano.


Fonte:Fenae

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page