top of page

BB: nova orientação aos gestores causa pânico nos funcionários e familiares.

Na manhã desta terça-feira, 21, o BB enviou novas orientações aos gestores que causaram dúvidas e pânico entre os funcionários autodeclarados em coabitação com o grupo de risco. Uma das medidas estabelece que estes funcionários podem retornar ao trabalho presencial, sem qualquer critério ou protocolo médico.

Estabelece o comunicado:  “Funcionário com autodeclaração de coabitação passa a se enquadrar nas formas de trabalho disponíveis, como os demais funcionários do Banco que não pertencem ao grupo de risco, a partir de 27/07”. Desta forma, os gestores estão estabelecendo o retorno do pessoal de forma geral sem levar em conta as reais necessidades do serviço.

O comunicado ainda vincula o acordo coletivo de trabalho – ACT assinado recentemente com movimento sindical e aprovado por assembleias virtuais na grande maioria das bases – com esta orientação, indicando somente os funcionários do grupo de risco como passíveis de serem prioritários para o trabalho remoto. Dá a falsa impressão que os retornos dos coabitantes foram negociados com o movimento sindical. Na verdade foi uma decisão unilateral do BB.

A Direção do Sintrafi Florianópolis e Região resgata as condições conjunturais, a correlação de forças desequilibradas entre as partes e a dificuldade para que se chegasse a um acordo que garantisse condições favoráveis aos funcionários do BB nas diversas situações decorrentes da pandemia do Covid-19. Em todas as rodadas a Comissão de Empresa do BB – CEBB cobrou a inclusão de todos os públicos nas regras do ACT.

Pela repercussão e as prováveis consequências, o assunto deveria ser tratado em mesa de negociações. Todo o cuidado, preocupação e cautela com a saúde dos funcionários e familiares está se perdendo por uma orientação irresponsável e descabida. Bastará num futuro próximo, o BB fazer a contagem dos casos de contaminação entre seus funcionários e familiares.

Para o Dirigente Luiz Toniolo, representante da Fetrafi SC na CEBB, “esta situação de retorno dos funcionários que coabitam com familiares do grupo de risco está em total descompasso com a dramática situação em que se encontram os municípios da Região Sul do país e, em especial, aos do estado de Santa Catarina, neste momento. O Estado está entre os com maior taxa de transmissão, com o número de casos confirmados e de mortes pelo Covid-19 em crescimento. O que levou o Governo Estadual a decretar novas medidas restritivas de mobilidade.

A CEBB agendou reunião com o BB amanhã, 22/07 para debater uma solução urgente.

A Direção do Sintrafi orienta os funcionários a aguardarem os desdobramentos e encaminhamentos da reunião com o BB.

Créditos da imagem: FEEB/PR

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page