top of page

Caso a população não reaja pode começar a dar adeus a sua aposentadoria

Mais um dia tenebroso entra para a história do país como o da retirada de direitos previdenciários dos trabalhadores brasileiros, que começam a dar adeus à sua aposentadoria. Por 379 votos a 131, a Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (10) o texto base da reforma da Previdência, segundo relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). Agora, o projeto vai à votação em segundo turno e depois segue para o Senado.

A reforma, cheia de maldades e contra a população mais pobre, segue com suas exigências cruéis: idades mínimas para se requerer a aposentadoria de 65 anos para homens e 62, para mulheres. Também altera o cálculo do valor da aposentadoria a ser recebida: o piso do benefício será de 60% da média de todas as contribuições feitas pelo trabalhador. Para se aposentar com o valor integral, será preciso ter acumulado 40 anos de contribuições.

Com o discurso mentiroso de “reduzir desigualdades”, o governo está dando este duro golpe nos trabalhadores, visto que 82% da economia feita com a reforma será paga pelos participantes do Regime Geral da Previdência.

Poucos brasileiros se deram conta que a PEC da Reforma da Previdência apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro foi aprovada como um rolo compressor, através de recursos oferecidos aos deputados, o bom e velho toma lá da cá.

Veja o exemplo que comprova que a proposta  aprovada é indecente 

Para entender melhor o texto aprovado na Câmara dos Deputados, confira abaixo os ataques que um trabalhador que ganha dois salários mínimos R$1.996,00 (ou seja, nenhum privilegiado) vai sofrer.

1 – Deixa de ter direito ao abono do PIS, hoje de R$ 998,00 ano para quem ganha até dois salários mínimos. Passará a ser um salário para quem ganha até 1.364,43.

2 – No mínimo 65 anos de idade e 40 anos de contribuição para aposentadoria integral.

3 – No mínimo 20 anos de contribuição.

Hoje são preciso 15 anos para se aposentar. A maioria não consegue contribuir 20 anos.

4 – Mudança no cálculo do salário médio

Hoje, é feita sobre 80% dos maiores salários. Com a Reforma, vai ser feita sobre todos os salários, rebaixando de 10% a 18% esse valor.

5 – Muda o cálculo pela segunda vez

Se contribuir 20 anos, você vai receber 60% do salário médio e não 85%, como é hoje.

6 – Redução da pensão por morte

O valor passará para 60% da aposentadoria, mais 10% por dependente. Se o beneficiário e seus filhos não tiverem renda, o piso é o salário mínimo. Se tiver outra renda ou um dos filhos trabalharem, a pensão pode ir abaixo do mínimo.

Em suma, os cálculos apontam que ninguém se aposentará com totalidade de proventos.

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page