top of page

Funcionáros do BB definem estratégia de campanha e pauta de reivindicações específicas

Os 212 delegados e delegadas do 31º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil se reuniram neste domingo, 12/07, por videoconferência para debater e definir as estratégias e a pauta de reivindicações dos funcionários para a campanha nacional dos bancários. Pela primeira vez, o Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil foi realizado por meio de videoconferência, em decorrência da pandemia da Covid-19.

As delegações representaram proporcionalmente todas as federações filiadas à Contraf/CUT. A delegação da Fetrafi SC contou com a representação de seis delegados além do “delegado nato”, que é o representante da federação na Comissão de Empresa dos Funcionários do BB – CEBB. Para o atual delegado nato da Fetrafi SC, Luiz Toniolo, “diante da conjuntura desfavorável para os trabalhadores e da crise provocada pela pandemia do novo corona vírus, os bancários deram uma demonstração de maturidade e de unidade para a realização desta Conferência de forma virtual. Somente com muita organização e mobilização poderemos alcançar uma campanha exitosa para garantir a manutenção da nossa CCT e avançar nos nossos direitos”, concluiu Toniolo.

Os debates foram orientados por três eixos de discussão sendo apresentados painéis com exposição dos palestrantes.

No primeiro painel “O banco é dos brasileiros” os convidados falaram a respeito do papel desempenhado pelo Banco do Brasil no microcrédito, crédito para pequenos e microempreendedores, para agricultura familiar e a importância deste patrimônio para a sociedade brasileira. O painel teve como palestrantes: Leonardo Pinho (presidente da Unisol Brasil e vice-presidente do Conselho Nacional de Direitos Humanos), Marcel Barros (diretor de Seguridade da Previ) e o economista Murillo Barella.

O segundo eixo de debate foi com o tema “Eles não vão gostar, mas nós não vamos largar nada!” e tratou da participação dos bancários em entidades de autogestão do banco, como a Previ e a Cassi. O objetivo era traçar as estratégias para defender a representação dos trabalhadores nessas instituições. Neste painel, os palestrantes foram: Anderson Mendes (presidente da União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde), Wagner Nascimento (dirigente sindical do Banco do Brasil) e Francisco Alexandre (ex-presidente do Fundo de Pensão dos Trabalhadores da BRF) .

No terceiro e último painel teve a provocação: “Precisamos de um banco para conduzir uma política em favor da sociedade?” e foi apresentado pelo deputado federal Christino Áureo (PP-RJ) e Jilmar Tatto (ex-secretário Municipal de Transportes do município de São Paulo).

Encaminhamentos da plenária final

Na plenária final do Congresso foram encaminhadas várias propostas, dentre os quais:

Mesa única e CCT

  1. Manutenção da mesa única de negociação com a Fenaban com a participação dos bancos públicos.

  2. Renovação da CCT e do ACT do BB.

Defesa do BB

  1. Defesa da manutenção do BB público.

  2. Construção de campanha em defesa do BB.

  3. Construção de frente ampla (parlamentares e sociedade) em defesa do BB.

  4. Promoção de Encontro Nacional do BB aberto aos funcionários.

Previ

  1. Apoio à Chapa 1 da Previ.

  2. Defesa a Previ e da sua sustentabilidade.

Cassi

  1. Defesa da Cassi: ampliar o programa Estratégia de Saúde da Família.

Organização do Movimento

  1. Eleição e reconhecimento pelo BB de um delegado sindical titular e um delegado suplente por agência bancária no Banco do Brasil.

As propostas das federações relacionadas à garantia da saúde e de direitos durante a pandemia e as de trabalho em regime de home office serão encaminhadas para deliberação da Conferência Nacional tendo em vista que serão incluídas na minuta de reivindicações gerais da categoria.

Sintrafi Florianópolis e Região

1 visualização0 comentário

留言


bottom of page