top of page

Grande ato encerrou atividades da Greve Geral em Florianópolis

Nesta sexta-feira, 14, os bancários deram mais uma vez uma demonstração de força na luta em defesa dos direitos dos trabalhadores. Em Florianópolis e Região, além  de muitos terem paralisado as atividades e permanecido em  frente as agências esclarecendo a população, ainda tiveram disposição para participar do ato que encerrou o dia de lutas e mandaram o recado de que não aceitam a Reforma da Previdência.

“A categoria bancária sempre foi protagonista das grandes lutas em defesa de direitos e continua sendo uma das mais fortes e organizadas do país. Por isso, mais uma vez, exercemos nosso legítimo direito de greve em defesa do direito à aposentadoria e do Regime Geral da Previdência Social, ameaçados pela proposta de reforma do atual governo. E também contra todos os retrocessos que estamos vivendo no país, como o desmonte dos bancos públicos, dos projetos sociais, os cortes na educação e o alarmante nível de desemprego”, destaca o presidente do Sindicato dos Bancários Marco Aurélio Silvano.

“Esta greve geral foi uma construção unificada das centrais, sindicatos, movimento social e estudantes. Todos serão prejudicados se essa reforma for aprovada, por isso, essa é uma luta construída junto com todos aqueles que defendem os direitos dos trabalhadores”, afirma o Secretário de Comunicação do Sindicato Cleberson Pacheco Eichholz

Florianópolis em defesa da previdência – A capital catarinense amanheceu sem ônibus, com a falta de transporte, o centro da cidade ficou quase vazio e muitos estabelecimentos ficaram fechados. Os trabalhadores e estudantes que estavam participando da greve geral começaram a se concentrar a partir das 8h na Praça de Lutas.

Por volta das 13h, os militantes saíram em caminhada  pelas ruas do centro para conversar com os comerciantes sobre a importância de paralisar para defender a previdência. Por onde a passeata passava, as portas do comércio se fechavam.

As atividades da greve na capital encerraram com um grande ato a partir das 16h. Mais de 30 mil pessoas marcharam pelas ruas de Florianópolis por mais de três horas, ocupando uma faixa da Beira-Mar Norte, passando pela Gama D’eça e encerrando em frente à Catedral. Durante todo o trajeto, os participantes gritavam palavras de ordem em defesa da aposentadoria e contra o governo Bolsonaro.

SEEB FLORIPA com informações da CUT-SC

0 visualização0 comentário

Comentarios


bottom of page